29.5.08

mais que palavras - 007

mais que palavras - 006


mais que palavras - 006


sem título - 057



vem sempre aqui?
não, eu vim
só para conhecer você
mesmo?
não...
mas poderia ser um
belo começo. Não concorda?
...talvez
talvez...

sem título - 056


Como dizer para o Al Gore que eles está equivocado em todo seu discurso pró live heart?
Mais uma vez falo do delírio coletivo que se estabelece. Basta assistir a tv senado, discursos políticos, ONGs fraudulentas. Campanhas publicitárias...
Isso tudo dá credibilidade:

"sua empresa se preocupa com a poluição, então ela é uma empresa legal."

Campanhas publicitárias de controle de natalidade não vendem. Um bebê sorrindo vende muito mais. Esta idéia global vendida em final de novela, em que todas se casam, ficam prenhas e vivem felizes para sempre.

Delírio coletivo sim. Pois nenhuma medida para salvar o planeta, seja diminuição de carbono liberado, seja controle de poluentes, bio-combustíveis; nada disso salvará as gerações futuras.
Pelo simples fato de que a idéia de solução ainda é uma idéia capitalista (maldita revolução industrial), pois todos os discursos se baseiam em um crescimento sustentável. O planeta não cresce.. logo como vamos crescer?
Nenhum discurso que observo fala em controle populacional massivo.

“Não é a poluição que está prejudicando o meio ambiente. São as impurezas em nosso ar e na água que fazem isso.” G. W. Bush
O que realmente será a única solução.
Já está faltando arroz no mundo... sinceramente duvido um pouco disso, acredito que seja apenas manipulação para aumentar o preço do produto mundialmente mas, se for verdade, talvez seja a primeira besta do nosso Apocalipse.

16.5.08

sem título - 055


não me lembro, se em setembro
mas era ela, ainda pequena ao meu lado
faz tanto tempo
foi o início,
e o fim?
quem pensa no fim,
em uma terra de sem fins?

13.5.08

sem título - 054

não vou
cantar, ainda, amores
mesmo havendo certos rumores
também não vou usar de tambores
que facilitaria a rima, o que seria óbvio demais
apenas vou falar de um contemplamento calmo e tranquilo
que se anuncia

decompor o novo no velho

12.5.08

homenagem para "M P"

Honrosamente recebi um texto do meu mais antigo amigo, e não poderi deixar de postar aqui:

Palavra Maldita

A dita palavra não me sai da cabeça!

Bem. Antes mal dita que não dita.

Se a tivesse engolido, estaria atravessada na garganta.

Ou embrulhada no estômago.

Melhor assim: na cabeça, junto das outras mal ditas.

O que dizer da não dita?

é amarga para quem não a disse.

Para quem engole seco a palavra quente,

que deixa úlcera no estômago e que causa congestão.

Esta sim é palavra maldita: a não dita.

Sabe o que acho de tudo isso?

Não sei se eu digo... Glup!

(Danilo – outubro/2007)