29.3.10

sem título - 091

nem bruma
nem leve
nem maresia

nem ao menos palavras soltas

já não fluem mais as palavras como antes fluíam
derramadas sem compromisso outro


que não fosse de encantar


agora...



escorrem

pelo

ralo

do

tempo

resumo para quem não pega no ar
maldita palavra hiberna

5 comentários:

Ma.chine disse...

As coisa que descem pelo ralo do tempo, são perdidas?

Algo me faz acreditar que não...
Só não entendo bem o pq...
Beijo.
Gostei daqui...
Sigo-te

Beijo

Preta disse...

marezia??

Juliano Detoni disse...

pardon!

Crisneive Silveira disse...

O ralo do tempo agora deve ser um poço de poesia.

Lílian Alcântara disse...

escrever a falta de inspiração já é inspirar-se