26.5.11

sem título - 101

tão bela Lua
que de prata, a lagoa, risca

inunda a visão
enquanto Alvin Lee se encarrega da audição

angutia-me não sentir o cheiro da noite
nem mesmo dos carros que circulam sob a janela

inodoro mundo ao redor

vem tu oh Lua
inundar os sentidos que me restam

4 comentários:

Maria Luiza disse...

Bom saber que não acabou!

Wagner Silva. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juliano Detoni disse...

[Wagner Silva]

Amém.

\o/

Isabella F. disse...

A doce e inspiradora lua...