8.2.07

Mundança climática


Um animal sem predador se tranforma em praga. Aconteceu quando levaram coelhos para a Oceania, quando trouxeram javalis para o Sul do Brasil, com formigas lava-pés.
Sem predador o equilíbrio se desfaz e pode ocorrer uma catátrofe, levando várias espécies sucumbirem juntas, como um dominó.


Sem predador uma animal vira praga.
Consome tudo o que vem pela frente, deixando para trás um rastro de destruição, até faltar espaço ou alimento, e voltar o equilíbrio. A natureza sempre encontra seus meios.
Matéria de Ensino Médio, se você colocar em uma casa comida suficiente, e ratos, eles procriarão até não ter mais espaço; com isso o grupo ficará sobre o stress da sperpopulação. Ocorrerão brigas, mortes, canibaismo. Animais terão comportamento muito irritado, tentando na verdade conter a superpopulação.

A natureza encontra seus meios.

Olhe nosso planeta da imensidão do universo, um ponto infinitamente pequeno, insignificante... e queira ou não, o Universo não se importa com problemas tão pequenos. Seria o universo o próprio corpo de Deus? Onde o planeta seria apenas um simples eletrón girando em torno de um núcleo?
Macrocosmo.
Microcosmo.

Qual é o nosso predador?
A pior espécie que apareceu na terra, que modificou elementos, modificou rios, tranformou o equilíbrio, colocou cada espécie para seu próprio fim. Durante milhões de anos a natureza manteve guardada reservas de carbono.
A energia, como é impressionante, como move o mundo, como é nescessária.
Somos uma praga, provavelmente a pior que ja passou por cima destas terras. Que naturalmente deve ser extinta.
Observe o planeta, imenso para nós. Uma película muito fina recobre ele, quase nada comparado ao tamanho do planeta.
A atmosfera é nosso maior tesouro, apenas por isso existe, ainda, vida.

Durante a história do planeta tivemos algumas eras glaciais. Pode parecer poético e sem sentido. Mas esta claro, pelo menos pra mim, que a Terra é um ser vivo. Com ciclos bem definidos.

Segundo relatório do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), emitido no dia 2 de fevereiro, o planeta aqueceu mais que as estimativas, o mar subiu mais que o previsto, e... as geleiras descongelaram muito mais que o previsto.
O relatório do IPCC, é o documento mais confiável sobre mudança climática, reúne a maior equipe mundial, como o melhores cientistas de todos os continentes. Com uma certeza de quase 100%, afirmam que o aquecimento global esta totalmente ligado a emissão de CO
2.

Este gás não permite que o calor do sol volte, mantem-se na atmosfera do planeta.
Ao longo dos anos o planeta teve seus aumentos de emissão de CO2 que sempre antecederam períodos glaciais. Nunca se emitiu tanto CO2 como hoje.

O planeta nunca esteve tão que
nte com hoje.


Permafrost, por que devemos nos preocupar com ele? Nem eu sabia oque era.
Groelândia, é um território auntônomo da Dinamarca, onde a religião predominante é o cristianismo, evangélicos luteranos, a pesca ainda é a principal fonte de renda.
É muito frio lá.
Pelo menos era, todo o verão ocorre o derretimento de uma parte do território. Este derretimento esta sendo maior a cada ano que passa, como pode ser visto na foto. As áreas em laranja representam a porção derretida no verão.
Alaska é um estado, território, dos Estados Unidos. Tem sua economia baseada na extração de petróleo. Como grandes sugadores de petróleo, este pais construiu a enorme TRANS-ALASKA PIPELINE, que corta todo o Alaska em seus zigue-e-zagues intermináveis, uma estrutura muito resitente capaz de resistir até 8,0 pontos na escala Richter. Tubulações enormes, uma obra de engenharia de última geração.


O solo tanto do Alaska quanto da Groelândia, é formado por "permafrost", constituido de terra rocha e gelo, permanentemente congelado. Todas as edificações são construídas sobre este gelo.

O permafrost esta derretendo, assim como a Antartida, o polo norte esta derretendo, e de forma muito mais rápida do que era previsto. Os niveis de permafrost estão diminuindo. Sem estrutura para se manter, edificações virão abaixo.
Mas isso só quando acontecer o aquecimento mesmo, e deve demorar ainda...


Será?

Estas são fotos de construções feitas no polo norte


A resposta é:
Não.
Os efeitos do deretimento do permafrost já são vistos hoje. Resultando em milhões de litros de água doce estão indo para o mar.
A última era glacial ocorreu quando uma grande porção de gelo que cobria o Canadá se derretou, indo para o mar.

Qual seria a consequência do derretimento?
Lembram de química, osmose, o menos concentrado vai para o mais concentrado. Você sempre pensou, mais por que devo saber disso, que importância vital teria?
Praticamente nenhuma certo?
Errado, sua respiração depende disso pressão de CO2 de O2.
Mas no caso a pressão de NaCl esta em jogo. É a diferença de concentração do NaCl, que resulta nas correntes marítimas. Um ciclo "eterno" levando consigo o calor das regiões equatoriais para aquecer os pólos, bem como o inverso, trazendo o frio dos pólos para resfriar o equador. Um grande radiador.


Com o derretimento dos pólos, todos pensam na altrura dos mares, e se sentem aliviados por não morar próximo do mar afinal são poucos cm ou metros oq vai subir.
Engano, a água doce vai diminuir a concentração de NaCl, e com isso as correntes matítimas vão parar.
Resultado?

Não vai chegar calor nos pólos.
Não vai chegar frio no equador.

Os pólos irão congelar e o equador estará tão quente que Fortaleza será muito mais do que antes "A terra do Sol".

Amania?


A seca do ano passado foi a maior de todos dos últimos 103 anos, o aquecimento causa evaporação maior nas florestas, estas não conseguem reter a umidade normal. Muitas espécies de ainmais sofreram, e uma grande camada vegetal foi perdida. Camada esta que não será reposta tão cedo, ou nunca mais será.

Brasil no rota dos ciclones
O Ciclone catarina (à esquerda), com ventos de 140 km/h, mortos e desabrigados. Fato até então raro no país e que tende a tornar-se mais frequente. O mar esta esquentando e formando esqueletos para a formação deste fenômeno.
Furacões como o Katrina (que atingiu a categoria 5, com ventos de 233 km/h), serão frequentes, como maior intensidade. Os rastros de destruição deles serão cada vez maiores.
Apenas por curiosidade, aí está a escala Saffir-Simpson, onde são classificados os furacões.

Categoria 1 - ventos entre 119 e 153 km/h
Categoria 2 - ventos entre 154 e 177 km/h
Categoria 3 - ventos entre 178 e 209 km/h
Categoria 4 - ventos entre 210 e 249 km/h
Categoria 5 - ventos maiores que 249 km/h

Não foi coincidência o Katrina ter cocorrido junto com o Catarina e a seca da Amazônia, pois todos se deram pelo mesmo motivo, como um efeito dominó.

A espécie humana é uma praga sem predador. Como os dinossauros, estamos vivendo nosso apogeu. Caminhando agora para o declílinio. A praga deve ser controlada e a fabulosa mãe natureza saberá como.

Somos juiz e juri.
Traçando tintim por tintim,
nosso triste fim.

4 comentários:

Annye Detoni disse...

Que bom seria se a maioria das pessoas tivessem este tipo de conscientização e de esclarecimento sobre o que está ocorrendo com o "nosso mundo", com o nosso "lar", pois com certeza não estariamos tão inertes e passivos diante de uma realidade tão assustadora que muitos, ou por ignorância, ou por fuga da realidade nao querem ver ou admitir que O "HOMEM ESTÁ DESTRUINDO O PLANETA TERRA!!!"
Qual será o nosso futuro? E o futuro dos nossos filhos? Essa é a grande herança que a ambição humana está deixando para todos nós...Ambição esta que, acredito eu, está saindo cara demais...E o preço é a nossa propria vida, ou pior, a vida de todo o planeta...
Que horror...O homem conseguiu progredir, fazer grandes descobertas, enfim, pra ter um final terrível como este que nos espera e nos consome lentamente...
Muito cruel...

Annye Detoni disse...

P.S: Adorei o post!!!
Te amo...

Fabrício Marques da Silva disse...

È isso aí Juliano, se os Europeus que vieram para o continente, ao invés de exterminar os índios, tivessem aprendido a viver harmoniosamente com a natureza como eles faziam com extrema sabedoria. Mas hoje sabemos quem eram e ainda são os verdadeiros "bárbaros".
Profecia Yanomami – Aquecimento Global

Certa ocasião, um pajé Yanomami, da Amazônia, sonhou que a terra tinha buracos no céu, produzidos pela fumaça da civilização, e que devido a esses buracos poderia desabar. A civilização não quis ouvir o pajé, mas tempos depois a própria ciência civilizada chamou esses buracos de “rompimento da camada de ozônio da Terra” e se preocupa até hoje em adquirir meios de recompor a tal camada, que provoca desarmonia e caos no mundo.
Temos q fazer o possível agora pra desenvolver e disseminar o antigo modo dos índios de viver.
É isso aí, grande abraço, AHOWWW

Josy disse...

Se todos tivessem esse seu interesse em mudar, em entender o nosso mundo, com certeza mudaríamos.
Seria bom se seu blog fosse mais divulgado.