26.2.08

sem título - 051

"o breve espasmo sobre a felicidade"
sobre as peripécias desimportantes,
que comovem cada vão minuto.

ciclos intermináveis
de vida e morte
noite e dia
cada traço ou palavra expressa.
cada pequena e ridícula fase;

os ciclos

desenhar

felicidade não é fácil de descrever,
momentos de felicidade são raros para alguns,
isso bem sei...

mais indescritível é a explosão de ser feliz
ser feliz a cada momento,
a cada dia

obrigado"

fim de espasmo...
siga seu coelho branco

3 comentários:

Lúcia disse...

Onde é que vendem desses tais espasmos mesmo...? ;D

Bella disse...

É bem mais q isso...

Dauri Batisti disse...

Gostei muito desse seu poema-espasmo. Sou marinheiro de primeira viagem neste porto maldita palavra.