27.1.10

sem título - 088

é fato
a memória dos odores de outubro,
daquele outubro
de manhã apreensivas
noites não dormidas pela espera

contorno esguio
retilíneo
de elegante sorriso

contínua situação
mudez para não delatar a insanidade
sem nomes nem mais anagramas
nehuma grama

impregnada
nas paredes
na rede
está a presença

sorriso multicolor
em meio a uma massa monocromática
que se materializou
3500 km depois

insanidade
leve descontrole
as adoráveis memórias
inominável certeza rastreada
de não ter havido outra
com mesmo timbre de voz
íntimo sorriso

a única que possui o beijo com a
fantástica força detonadora
igual ao brilho das estrelas

que logo se propaga ao infinito
que nenhuma outra apagará

sanidade e sobriedade
outra certeza

4 comentários:

Josy disse...

o passado voltando...

Juliano Detoni disse...

o passado nunca se afastou, apenas se silencia...
presença, ou seria ausência, diária...

Tais Carvalho disse...

Como comentei no Orkut, seu blog é impactante. Maravilhoso. Parabéns!

Melanie B. disse...

Nem silencia só grita baixinho!!